Gilson Martins

 

 

O designer carioca Gilson Martins, nasceu no Centro do Rio de Janeiro, Zona Portuária e teve a infância pontuada pelas imagens mais representativas da paisagem carioca. Formado em Cenografia na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, apresentou o uso de materiais não convencionais na criação de bolsas, propondo um novo conceito e olhar a respeito de reciclagem e uma nova estética para a moda e o design.

Foi o primeiro designer a utilizar a bandeira do Brasil na moda, sugerindo um momento de auto estima e orgulho na sociedade brasileira. Este trabalho teve apoio do Governo Federal, que reconheceu no seu trabalho a “marca Brasil”, promovendo-a no cenário internacional. As Bolsas Brasil foram expostas em diversas cidades que sediaram a Copa do Mundo como Paris, Berlim, Nova York e Tóquio.

O designer também desenvolve um trabalho de sustentabilidade, utilizando sobras da fabricação das bolsas através do upcycling, criando novos produtos e gerando renda para suas ex-costureiras, que formam pequenos grupos de artesãs nas comunidades próximas a sua fábrica.

Durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, em 2016, seu trabalho teve um forte impacto. O designer criou produtos para o Comitê Olímpico Internacional, Coca-Cola, L’Oréal, Comitê Olímpico Japonês e outras empresas multinacionais.

Suas quatro lojas em Ipanema e Copacabana recebem clientes de todo o mundo, e são referências de design brasileiro com humor e qualidade. Franceses, italianos, alemães, japoneses e americanos são grandes apreciadores dos produtos Gilson Martins e seu principal público em potencial.

 

 

PRIMEIRA MOCHILA

Primeira mochila produzida com lona de cadeira de praia, sobra de material do trabalho de seu pai estofador. A partir de modelo que insistia em rasgar, o então estudante recria a peça com tecido mais resistente e design mais funcional. Os primeiros clientes foram colegas e professores da faculdade.



 


   
 

OS MATERIAIS NÃO CONVENCIONAIS

O designer começa uma pesquisa de materiais com outras funções, inserindo na criação das bolsas. Materiais de decoração, automobilísticos e vestuário propõe uma nova leitura no segmento desse produto.


 


   
   

 AS BOLSAS ESCULTURA

Um novo trabalho mais conceitual, onde a arte prevalece funcional. As bolsas escultura foram criadas a partir de uma pesquisa de materiais observados no cotidiano do artista. Molas industriais, mangueiras, puxadores de gavetas, tubulações constroem essas novas peças.



 


   
 

BOLSAS DO BRASIL

Primeiro designer a utilizar a bandeira do Brasil em bolsas e acessórios, Gilson lança a linha Brasil na Semana de Moda da Cidade do Rio de Janeiro e torna-se reconhecido internacionalmente. Teve o apoio do governo federal na criação da nova marca Brasil, que passou a ser referência de seu trabalho no mundo inteiro.


 
 


   
   

AS BOLSAS DO RIO

Representa a cultura do Rio de janeiro em suas bolsas com imagens do Pão de Açúcar, Cristo Redentor, Copacabana e Lapa. Transmitindo as cores, o humor e leveza da cidade.


 


   
 

 

ANTES DA BOLSA

Se apresenta como artista plástico e propõe telas e instalações observadas na sua fábrica, reinterpretando as matérias primas e os processos de produção como obras de arte.


 



   
   

 

LIXO NOBRE

O designer descobriu nos retalhos de sua produção uma nova técnica artesanal, aproveitando sobras de corte das bolsas para criar mosaicos com cenas da cidade do Rio de Janeiro. Através da técnica upcycling, transforma o lixo em novas bolsas de alta qualidade e, como responsabilidade social, gera trabalho às suas ex-costureiras das comunidades carentes do Rio.


 

 

 

 


 

 

Gilson Martins

Do Rio para o mundo